Dra Bruna Marisa

Dieta Low Carb

Mais do que uma Dieta, a LOW CARB é um Estilo de Vida

Muitas vezes indicada para perda de peso e para pacientes diabéticos, a Dieta Low Carb é um programa alimentar que restringe a ingestão de carboidratos.

Ao contrário do que muita gente pensa, não existem vários tipos de dieta low carb. O que existe é a mudança na cota de carboidrato a ser ingerido por cada pessoa, que deve ser calculada individualmente e também as variações de acordo com os tipos de carboidratos permitidos. Essa variação acontece de acordo com o profissional que prescreve.

No geral a pessoa deve consumir carboidratos complexos e os naturais, ou seja, os extraídos das frutas, legumes e verduras. É importante dizer também que todas as refeições ao longo do dia, devem ser alteradas e a cota de carboidratos diária para quem quer perder peso é de 40 a 80g por dia.

“Não existe um tempo máximo para a low carb”- Diz a Dra. Bruna Marisa, médica e membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia. – “O que fazemos é mudar as cotas de carboidratos ao longo da evolução e das necessidades de cada paciente.  O ideal é sempre evitar os exageros na alimentação.”

Os estudos não mostram diferenças em perda de peso a longo prazo, comparado com as dietas hipocalóricas. A dieta ideal é aquela que o paciente consegue ter boa adesão. “Na consulta e fazendo o recordatório alimentar, teremos condições  de indicar a dieta que mais se adapta a cada perfil de paciente.”, diz a Dra. Bruna que é fã dessa dieta, e a adotou como estilo de vida.

A Dieta Low Carb é contraindicada para crianças e gestantes. Idosos só podem fazer com acompanhamento médico e nutricional minucioso. 

Devemos dizer também que a dieta low carb, pode causar no início, uma diminuição da energia e do rendimento físico, então, no caso de atletas e esportistas, deve ser analisado caso a caso.

Outra observação importante é que diabéticos também se beneficiam dessa dieta, mas antes de inicia-la, o paciente deve ser consultado pelo seu endocrinologista, para ajustes de medicações orais e insulina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *